quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

aquela doença estranha…


Há 30 anos, sintomas de uma estranha pneumonia e sinais de um cancro raro levaram os cientistas dos Centros para o Controlo e Prevenção de Doenças da América a anunciarem ao Mundo uma doença «estranha» e «séria». Actualmente, não são precisos adjectivos para qualificar a SIDA. Os números encarregam-se disso. Como foram os 30 anos depois da notícia que deu a conhecer o VIH/sida ao mundo? Que impacto teve a doença mais mediática na sociedade, nos comportamentos, na arte? Para assinalar esses 30 anos, e perceber em que medida a doença afectou as artes em geral (da pintura ao teatro, passando pela literatura, música, cinema e fotografia), João Osório realizou o documentário Arte no Tempo da Sida, que a RTP-2 transmite hoje às 20:50h. "Arte no Tempo da Sida" reúne as memórias, os alertas, as histórias destas três décadas feitas de combate. E mostra de que forma a comunidade artística estimulou o sentido de solidariedade na luta contra a doença. Testemunhos de Henrique Barros, Margarida Martins, Amílcar Soares, Jorge Silva Melo, Rui Pregal da Cunha, Isabel Carlos, Eduardo Pitta, Maria José Campos, José de Guimarães, Jorge Mourinha e Miguel Francisco Cadete.

Links:
ARTE NO TEMPO SIDA (in Da Literatura, Eduardo Pitta)

3 comentários:

Malu disse...

Partilharei no Face, senhor Galego!! Muito belo espaço... Com certeza será um sucesso.
Grande abraço!!!

Paulo V. Pereira disse...

Parabéns pela iniciativa.
Neste nosso país, esquece-se o importante para "à luz de uma crise", se viver de dúbias personagens de um programa hipócrita: "Secret Story". Talvez para a mentalidade dos nossos conterrâneos seja mais importante conviver durante 3 meses com "o orgulho" de quem matou um homem ou de uma boneca de silicone, do que enfrentar a verdade ou contribuir para a evolução da ciência.
É pena.
Abraço.
(divulgado no meu G+)

pinguim disse...

Tive pena de não ver, até porque conheço pessoalmente o Eduardo Pitta e o Jorge Mourinha.