quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Quando um homem cria paraísos devemos chamar-lhe "jardineiro de Deus"

 
 
Fundação Calouste Gulbenkian e Centro Nacional de Cultura celebraram o paisagista Gonçalo Ribeiro Telles. Colegas do ensino e da política, alunos e amigos quiseram honrar o mestre e, sobretudo, o homem.


Aos 89 anos, o político que foi governante e deputado, fundador do Partido Popular Monárquico e do Movimento Partido da Terra, ou o arquitecto paisagista a quem o País deve as reservas agrícola e ecológica nacionais, os jardins da Gulbenkian (com António Viana Barreto) e o Amália Rodrigues, sente que tem ainda uma palavra a dizer. "Quero ser útil ao momento presente”, afirma. Ler notícia do Público AQUI.

1 comentário:

pinguim disse...

Um grande Homem, um grande Senhor.
Merecida homenagem.