terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Se conseguíssemos descrever uma vida só com palavras, não necessitávamos de transportar uma câmara




Nada como fazer uma retrospectiva do ano em imagens. Mais ainda, quando se trata de uma agência internacional de notícias como a Reuters. Neste vídeo temos oportunidade de visualizar imagens admiráveis das autoridades em fotojornalismo mundial.

Link to the images: http://blogs.reuters.com/fullfocus/2011/11/21/best-photos




A CÂMARA NÃO TEM SENÃO UM OLHO: A LENTE. SÓ PODE REGISTAR UM FRAGMENTO DO MUNDO VISUAL. O FOTÓGRAFO LEVA COM ELE O SEGUNDO OLHO. ESTE É O OLHO DA SELECÇÃO. O ARTISTA TEM AINDA UM TERCEIRO OLHO: O OLHO DA IMAGINAÇÃO CRIATIVA. ESTE TERCEIRO OLHO É O QUE PODE PENETRAR NO NOSSO MUNDO INTERNO
David H. Curl

3 comentários:

pinguim disse...

Excelente...

driftin' disse...

Se não houvesse uma câmara, talvez pudéssemos tentar - olhando uma criança acabada de nascer - imaginar, não o significado do seu nascimento, mas o que, na realidade, teria o mundo para lhe oferecer.

Isto, muito provavelmente, é bem capaz de desvirtuar a célebre reflexão de JFK.

Uma vez que não gostaria de me remeter ao híbrido "sem legendas", acabaria por recorrer a Eugénio de Andrade:

«O dia limpo como um adro deserto,
o relógio parado,
os degraus por onde o sol
sobe ao olhar -
falta que um pássaro cante em qualquer lado.»

...E, como um ciclo vicioso, acabaríamos a interrogar-nos sobre a possível qualidade de vida desse pássaro!

Malu disse...

Palavras e imagens sempre serão amálgamas perfeitas...
Grata pela sua passagem em minhas páginas, senhor Galego.
Grande abraço